Saltar para o conteúdo principal da página

Alimentar

Alimentar
Máquinas de embalagem para o sector alimentar.

Para o consumidor final, a embalagem primária, faz parte do produto, funciona como uma segunda pele do mesmo.

Geralmente é efetuado com plástico alimentar, com diferentes espessuras, impresso ou não, dependendo do que se pretende para o produto. A função é proteger contra choques ou simplesmente preservar o seu manuseamento. Ou seja este tipo de embalagem é considerada a embalagem primária que é aquela que está em contato direto com o produto.

Os produtos produzidos, são embalados nos mais diversos tipos e variedades de embalagens, de acordo com o pretendido e previamente estabelecido; nesta altura são codificados com o número de lote e validade do produto. Aqui normalmente usa-se a marcação de ink jet com pequeno carater.
De seguida, os produtos podem ser embalados em packs, que poderão ser retratilizados ou colocados em caixas de cartão. Nesta fase, temos como soluções: retratilizadoras, como as soldadoras em "L" / enfardadoras ou máquinas formadoras e fechadoras de caixas.

Também temos soluções para máquinas de cintar caixas. Nesta fase, para a codificação das caixas, ou packs, temos as soluções de ink jet de grande carater, ou etiquetagem.

Posteriormente, por uma questão logística os armazenistas e grandes superfícies exigem que a unidade de entrega seja a palete. Portanto, esta última fase é considerada a embalagem terciária.
As paletes com produtos finais podem ser formadas manualmente, mas se a cadência for elevada ou as paletes forem altas, podem ser construídas de forma automática.

A embalagem depois de constítuida deve ser protegida e consolidada para facilitar o seu transporte com filme estirável e/ou cinta plástica. O filme estirável pode ser aplicado manualmente com bobines ergonómicas ou com bobines de uso automático.

Temos como soluções, as máquinas de envolver paletes, que podem ser semi-automáticas ou automáticas. A escolha vai depender sempre das necessidades do cliente, das condições que tem, quer a nível da fábrica e de acordo com as características das suas paletes; temos de ter sempre em atenção fatores, como a altura e peso da carga, dimensões da palete, se o envolvimento é sempre feito no mesmo lugar, ou se existem diferentes pontos de envolvimento, espaço disponivel, etc. Todos estes fatores condicionam a escolha do equipamento.

Quando não se pretende utilizar o filme estirável, ou até se há necessidade de reforçar a embalagem, a solução é a cintagem com cinta plástica; podemos fazê-lo de forma verticalou horizontal
Dispomos de soluções semi-automáticas e automáticas, com as máquinas integradas na linha; uma outra solução nas máquinas de cintar e que se enquadra muito bem em todas as aplicações é a máquina de cintar portátil com bateria, mod. SR293.