Fitembal

Teste

Rotoplat

A máquina é composta por duas partes modulares: uma base rotativa e uma torre.

Depois da carga ser colocada na base para envolver, o operador amarra a ponta do filme na palete (ou no cogumelo) e dá ordem de início.

Começa a rodar com um aumento de velocidade progressivo e o filme pode executar voltas sobrepostas na base para melhor consolidar a carga neste ponto.

Em seguida, a bobine de filme que está num elevador na torre ao lado da plataforma inicia o ciclo ascendente até chegar ao cimo, onde se inicia nova contagem para sobreposição de filme, agora com voltas no topo.

O número de voltas a sobrepor na base e no topo são previamente programadas pelo operador.

Findo isto, ou a máquina pára realizando apenas o envolvimento no sentido ascendente (opção standard), ou continua para a fase descendente, sempre com a plataforma a rodar, até chegar à base onde irá parar na mesma posição inicial para facilitar a entrada dos garfos do empilhador.

O operador corta a ponta do filme e a carga está pronta a ser transportada.


A altura da carga é regulada por uma fotocélula podendo no quadro ajustar o remanescente de filme da parte superior.

A velocidade de rotação é possível regular no quadro eléctrico.

Pode ainda ser fornecido em qualquer altura um braço pressor que vai segurar as cargas mais instáveis pelo topo e um variador de velocidade do carreto.


Para facilitar o acesso da palete à base da máquina é possível usar uma rampa, enterrar a máquina usando um kit próprio ou por fim adquirir a base em forma de "garfo" com o formato do transpalete (opção).

Multimédia

© Fitembal 2016. Todos os direitos reservados

To Top